Procure no JP

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Nacional vence a primeira na A2 e quebra tabu contra o CAV

Texto e fotos: Fernando Martinez


Na tarde de quarta-feira pintou aquele dever cívico no cronograma e fui acompanhar meu 25º jogo seguido do Nacional atuando no Estádio Nicolau Alayon. Pela terceira rodada do Campeonato Paulista da Série A2, o escrete ferroviário recebeu o CA Votuporanguense em busca da primeira vitória na competição.

Esse foi o sexto confronto entre os dois na história, e até então o Nacional nunca tinha vencido. O retrospecto mostrava três empates e dois triunfos do CAV. Aqui no JP cobrimos o trágico empate na Segundona de 2012, outra igualdade na A3 de 2015 e um duelo sem gols pela Copa Paulista de 2016. Falando sobre 2012, até hoje a torcida nacionalina tem engasgada na garganta o que aconteceu no duelo entre o clube de Votuporanga e o falecido Sport Barueri.


Nacional Atlético Clube - São Paulo/SP


Clube Atlético Votuporanguense - Votuporanga/SP


Capitães das equipes junto ao árbitro Thiago Duarte Peixoto, os assistentes Bruno Salgado Rizo e Bruno Silva de Jesus e o quarto árbitro Daniel Carfora Sottile

Numa tarde nublada e com temperatura até que agradável, o Nacional quebrou o tabu com juros e correção. O CAV assustou apenas aos nove minutos em chute cruzado de Fio pela linha de fundo. Depois disso, só deu o escrete paulistano. Aos 19, Thiago Santos quase inaugurou o placar em cabeçada que foi pra fora. Quatro minutos depois foi a vez de Bruno Xavier chutar e obrigar o goleiro Vítor a fazer grande defesa.

Coube ao mesmo Bruno Xavier abrir o marcador aos 36 minutos numa jogada com toques rápidos e finalização precisa do camisa 11 no canto esquerdo. O primeiro tempo parecia definido com a vantagem mínima a favor dos locais quando Vítor, camisa 1 do CAV, resolveu dar uma forcinha.

Os visitantes trocavam passes no campo de defesa e a pelota foi tocada pro arqueiro. Ao perceber a aproximação de Emerson Mi, ele se preparou para isolar a bola. Porém ele errou o chute de forma bisonha e deu um verdadeiro passe pro camisa 10. O atleta nacionalino agradeceu o presentaço e, com toda a meta à sua disposição, tocou de leve e fez o segundo gol aos 43 minutos.


Thiago Santos, camisa 8 do Nacional, mostrando elasticidade no gramado do Alayon


Zagueiro do CAV cabeceando a pelota pra longe da sua área


Disputa de bola na esquerda do ataque paulistano


Emerson Mi agradecendo aos céus e ao goleiro Vítor o presentaço que resultou no segundo gol do Nacional

O CAV tentou voltar pro tempo final sem pensar no lance bizarro, só que não teve jeito. O Nacional foi muito melhor e não deu a menor chance pro time da Cidade das Brisas Suaves. Bruno Xavier marcou pela segunda vez aos cinco minutos num belíssimo chute colocado no canto direito. Foi o terceiro tento local.

Aos 26 Emerson Mi foi derrubado dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Bruno Nunes bateu no meio do gol e fez o quarto. Aos 37 o camisa 18 Josué recebeu bom passe, invadiu a área, driblou o goleiro e marcou o quinto. Foram vários os momentos que o onze local teve pra ampliar a goleada, mas parou por aí. O CAV ainda teve tempo pra fazer o gol de honra aos 47 em cabeçada de João Victor.


Bruno Xavier chutando pra fazer o terceiro gol local aos cinco do segundo tempo


O colorido das camisas de Nacional e CA Votuporanguense


Vítor Braga sendo derrubado dentro da área pelo goleiro da CAV


Bruno Nunes fazendo o quarto gol do escrete ferroviário

Fim de papo na Comendador Souza com o placar de Nacional 5-1 CA Votuporanguense. Esse foi apenas o oitavo 5x1 da história do antigo SPR contando jogos da segunda divisão estadual. O resultado é tão raro que dá pra citar os anos em que isso aconteceu: 1927, 1928, 1961, 1963, 1965, 1983 e 2007 (contra o Rio Preto com cobertura do blog). O primeiro triunfo em 2018 colocou o NAC na sexta posição com quatro pontos ganhos. O CAV tem três e está em 14º lugar.

Após tantos dias seguidos com partidas no cronograma, agora terei dois dias "de folga" antes do final-de-semana. Folga, pero no mucho, já que as intermináveis pesquisas sobre a história do futebol não param.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário