Procure no JP

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Tempo

Fala, pessoal!

Como alguns devem ter percebido, a frequência de posts aqui no JP deu uma diminuída nos últimos tempos. Realmente caiu bastante, tudo por conta de muita mudança, vários momentos ruins e algumas dores de cabeça de longa data. Em pouco tempo o trem deve voltar aos trilhos, então peço um pouco de paciência a todos que nos visitam. Logo, logo tudo estará zeradinho.

Grande abraço a todos!

Fernando

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Nacional vence o Água Santa e vira vice-líder do Grupo 3

Texto e fotos: Fernando Martinez


A Copa Paulista chegou ao segundo turno da primeira fase e na tarde do sábado o Nacional fez sua quinta apresentação no Estádio Nicolau Alayon, agora contra o Água Santa em compromisso do Grupo 3. Com essa peleja, alcancei a marca de 21 jogos seguidos do onze ferroviário atuando na sua casa, um recorde. Com meu novo status social, não sei até quando seguro a onda... mas felizmente até o momento ainda dá.

Antes desse duelo, o time de Diadema era vice-líder da chave com 14 pontos ganhos, enquanto os paulistanos estavam em quarto com 11. Ambos vinham de vitória na rodada anterior, as duas pela contagem mínima: o Naça contra o Taubaté e o Netuno contra a Portuguesa. Falando de história, três confrontos entre os dois e duas vitórias diademenses e um empate.


Nacional Atlético Clube - São Paulo/SP


Esporte Clube Água Santa - Diadema/SP


Capitães dos times e quarteto de arbitragem composto pelo árbitro Danilo da Silva, os assistentes Wellington Bragantim Caetano e William Rogério Turola e o quarto árbitro Pietro Dimitrof Stefanelli


Trio de peso nos bancos de reservas do Nicolau Alayon: Betinho, técnico do Nacional, Ânderson Lima, auxiliar técnico, e Jorginho, técnico do Água Santa

Um bom quórum de amigos marcou presença na Comendador Sousa, só que infelizmente a partida não foi tão boa quanto o esperado. O Nacional, que estreou o técnico Betinho com o mando de campo, não se mostrou muito inspirado e o Água Santa também não teve uma atuação de encher os olhos de ninguém.

No tempo inicial, dois momentos distintos. Na primeira metade os donos da casa foram melhores porém não conseguiram criar momentos efetivos para a abertura do marcador. Na segunda metade, o Netuno passou a colocar as manguinhas de fora, também sem oportunidades claras.

O melhor momento do primeiro tempo aconteceu aos 45 minutos quando Jadson invadiu a área pela esquerda e mandou um chutaço que bateu na trave antes de sair pela linha de fundo. Foi com o placar em branco que o árbitro encerrou a primeira etapa no Alayon.


Tentativa de finalização no ataque local travada pela zaga do Água Santa


Grande chegada do Nacional pelo alto


Bruno Xavier protegendo a bola do marcador

No tempo final a coisa até que melhorou. Coube ao camisa 16 Thiago Santos, que havia entrado no intervalo, tirar o zero do placar. O Água Santa perdeu a bola na esquerda e Murilo, camisa 5 local, lançou para o autor do gol. Ele surgiu livre dentro da área e tocou na saída de Erivelton.

Com a derrota parcial o Netuno até que tentou emplacar aquela famosa pressão na equipe da capital. Só que os comandados de Jorginho não foram felizes nas suas investidas. A melhor e única chance pro empate saiu dos pés de Gabriel Duarte aos 33 minutos, mas a pontaria falhou por pouco e a pelota saiu pela linha de fundo tirando tinta da trave.


Maurício mandando a pelota pra longe da área


A comemoração de Thiago Santos pelo gol aos dez do tempo final


Corte da zaga local após cruzamento


A grande chance do empate do Netuno aconteceu nesse lance, mas Gabriel Duarte tirou demais do goleiro e viu a pelota sair tirando tinta da trave

No fim, o Nacional 1-0 Água Santa foi o resultado merecido para quem foi mais efetivo no gramado. O triunfo colocou os ferroviários na vice-liderança do Grupo 3 com 14 pontos, mesma pontuação de Portuguesa e do próprio onze de Diadema. O líder é o São Caetano com 15. Pensando no futuro e numa possível vaga, vale lembrar que dos seis compromissos restantes pro Nacional, quatro serão fora de casa.

Não tive muito tempo tranquilo após o apito final, já que precisava correr para a sessão noturna. Os amigos Bruno e Espina se despediram da caravana, enquanto o trio Mário, Pucci e Mílton seguiu comigo pelos trilhos da CPTM até a Arena Barueri e a Série B do Brasileirão.

Até lá!

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Osasco FC derrota o São José e se aproxima das quartas

Texto e fotos: Fernando Martinez


A segunda fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão está na sua reta final e no último final de semana teve duelo importante pelo Grupo 6. No Estádio José Liberatti, o Osasco FC recebeu o São José em busca de encaminhar sua vaga nas quartas-de-final do certame.

Com quatro rodadas realizadas, a Águia do Vale era a líder da chave com oito pontos, enquanto Osasco FC e Itararé tinham sete. Um triunfo dentro no Rochdale colocaria o time da Grande São Paulo com um pé na próxima fase. Já um triunfo joseense o colocaria de forma antecipada entre os oito melhores clubes do campeonato.


Osasco Futebol Clube - Osasco/SP


São José Esporte Clube - São José dos Campos/SP


O árbitro Kleber Canto dos Santos e os assistentes Fausto Augusto Moretti e Fernando Afonso de Melo posam de forma exclusiva para as lentes do blog junto com os capitães dos times

Quem foi ao Rochdale viu um ótimo jogo, principalmente por conta da atuação dos donos da casa. O alvinegro mandou bem demais e praticamente não deu espaços ao São José, que esse ano disputa a última divisão estadual pela primeira vez em 53 anos (a única participação até então havia sido em 1964, quando terminou campeão ainda como o Formigão do Vale).

Antes mesmo do primeiro minuto chegar os locais perderam uma chance absurda nos pés do camisa 7 Luís Fernando. Numa falta pela esquerda, a pelota foi levantada no segundo pau e então sobrou livre pro atleta osasquense na pequena área. Só que a finalização foi bizarra e a bola foi parar na arquibancada.

Aos sete Carlos Gabriel bateu uma falta com muito perigo e obrigou o goleiro Robert a praticar bela defesa. O tempo inicial foi seguindo com o Osasco FC muito superior e aos 32 minutos, em nova cobrança de falta, o zagueiro Vinícius acertou um belíssimo chute de longe e abriu o marcador. O arqueiro joseense falhou no lance ao fazer golpe de vista.


Troca de passes no ataque do Osasco FC


Robert subindo no segundo andar para evitar a cabeçada do camisa 7 osasquense


A feliz fisionomia do ataque do Osasco


Comemoração do segundo gol dos donos da casa

Dez minutos depois o camisa 9 Dieguinho ampliou a vantagem osasquense numa cabeçada fulminante completando um cruzamento da direita. Foi com os 2x0 no placar que o primeiro tempo se encerrou. Uma atuação que encheu os olhos dos (poucos) torcedores que enfrentaram a fria noite no Rochdale.

No tempo final a peleja deu uma caída e a tônica foi a tentativa do São José em pelo menos diminuir o prejuízo. O alvinegro conseguiu se defender sem problemas e ainda ameaçou nos contra-ataques. Ao final dos últimos 45 minutos, o marcador não foi alterado.


Zaga do São José afastando o perigo


Escanteio a favor do onze local


Outra bola alçada dentro da área visitante

O placar de Osasco FC 2-0 São José colocou o onze da Grande São Paulo na liderança do Grupo 6 após cinco rodadas disputadas. O time agora tem dez pontos e três gols de saldo, um gol acima do vice-líder Itararé, que tem a mesma pontuação. O São José caiu para a terceira colocação com oito. Na rodada final, o Osasco só será eliminado com uma improvável combinação de resultados, enquanto a Águia do Vale tem que vencer o Caçula no Martins Pereira.

Como agora o lance é viver na praia, minhas passagens pela capital dependem de uma pequena ajuda dos amigos. Passei a noite na boa me preparando para a jornada dupla do sábado com direito a Copa Paulista e Série B do Brasileiro.

Até lá!