Procure no JP

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Chapecoense elimina o Santo André e se classifica na Série C

Fala, pessoal!

Fechando os jogos em que o JP esteve presente no último final de semana, tive o prazer de fazer minha estreia no Campeonato Brasileiro da Série C, depois de quase três anos sem ver nenhum jogo do certame. No ótimo horário das 16 horas do domingo, segui até a cidade de Santo André, aonde o próprio Santo André enfrentou o campeão catarinense de 2011, a Associação Chapecoense de Futebol, no destruído Estádio Bruno José Daniel.

Depois de faltar nos três primeiros jogos por motivos que fugiram (e muito) da minha alçada, minha presença nesse confronto era obrigatória. Além de ser uma verdadeira decisão, foi a segunda vez que pude acompanhar in loco um jogo do Furacão do Oeste (a primeira foi contra o Guarani, numa Copa do Brasil), e a primeira com a chance de fazer a foto do time. E devidamente autorizado, fiz as imagens para o JP:


EC Santo André - Santo André/SP. Foto: Fernando Martinez.


A Chapecoense de F - Chapecó/SC. Foto: Fernando Martinez.


Trio de arbitragem da partida, composto pelo árbitro Ítalo Medeiros de Azevedo (RN) e os assistentes Marcelo Braz Mariano (RJ) e Daniel Luís Marques (SP), e capitães andreense e chapecoense. Foto: Fernando Martinez.

Um público de 572 pagantes, entre eles os amigos Mílton e Renato, esteve presente no Bruno José Daniel para a possível despedida andreense da competição jogando no ABC. O ânimo do pessoal melhorou um pouco após o resultado positivo do Ramalhão contra o Caxias. Uma vitória contra a Chapecoense deixaria o time longe da zona de rebaixamento e com chances de classificação. Mas um triunfo do Verdão, somado a um empate entre Joinville e Brasil de Pelotas, classificaria os visitantes para a segunda fase.


Marcação firme da zaga da Chapecoense no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

Desde o apito inicial a torcida incentivou o time local, mas a equipe não se portava bem em campo. Mesmo jogando numa postura mais defensiva, a Chapecoense levou enorme perigo contra o gol defendido pelo arqueiro André Luís. Por duas vezes os atacantes chegaram perto de abrir o marcador, fazendo com que a torcida visitante ficasse perto de gritar gol.


Bom chute do Santo André pela direita do seu ataque. Foto: Fernando Martinez.


Boa cabeçada do ataque do Ramalhão após escanteio na direita. Foto: Fernando Martinez.

Somente após os 30 minutos o Santo André criou sua primeira chance de perigo, numa bola que tirou tinta da trave direita do goleiro Rodolpho em cobrança de falta de Cristiano Brasília. Minutos depois, um chutaço na trave, em boa jogada pela direita, novamente com o camisa 10 andreense. Mas no frigir dos ovos, não tivemos um bom jogo, e o intervalo chegou sem a abertura do placar.


Escanteio cobrado por Cristiano Brasília ao final do primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

No intervalo subi nas cabines de imprensa para ver do alto a situação da ex-parte coberta do Bruno José Daniel. Dali parece que temos algo relacionado ao coliseu romano ou algum cenário de um local destruído após uma guerra civil. Tive informações que o contrato de reforma finalmente foi assinado na semana passada, e esperamos que realmente a obra saia do papel. Santo André precisa de um estádio "inteiro" e melhor do que era antigamente.


Visão atual do Bruno José Daniel, com a ex-parte coberta sem cobertura. Foto: Fernando Martinez.


Boa presença da torcida da Chapecoense em terras paulistas. Foto: Fernando Martinez.

Alguns copinhos d'água depois, voltei ao gramado para o segundo tempo de peleja. O sol tinha baixado e um vento gelado passou a soprar e fazer a curva exatamente aonde estava. Fiquei os 45 minutos ali trincando os dentes, em momentos que podem ser considerados os últimos suspiros do inverno antes que aquele calor absurdo volte a dar as caras por aqui.


Ataque andreense pela direita. Foto: Fernando Martinez.

E para desespero dos torcedores do Ramalhão, o Furacão do Oeste abriu o marcador aos 7 minutos. Após cruzamento da esquerda, o camisa 9 Jean Carlos cabeceou de forma certeira no canto esquerdo de André Luís. O goleiro ainda tentou tirar, mas não teve jeito. Chapecoense 1x0.


O time local tentou, mas não chegou ao gol no segungo tempo. Foto: Fernando Martinez.

Atrás no marcador, os andreenses tentaram fazer uma pressão para chegar ao empate. Mas apesar da maior posse de bola, faltava qualidade no ataque, e todas as investidas eram facilmente neutralizadas. Num ótimo contra-ataque, a torcida do time visitante quase comemorou o segundo em chutaço de Neílson à queima-roupa, com grande defesa do arqueiro do ABC paulista.


Visão geral de escanteio para o onze paulista. Foto: Fernando Martinez.

O Ramalhão tentava, tentava, tentava... Mas nada dava resultado, deixando sua torcida impaciente e irritada. O final do jogo se aproximava, e a derrota parcial deixava a equipe numa péssima situação. Todos os atletas resolveram se lançar ao ataque para tentar a igualdade. O camisa 4 Daniel chegou a empatar a peleja aos 36 minutos, mas o tento foi anulado por impedimento.


Lance do gol marcado pelo jogador Daniel, mas que foi anulado por impedimento. Foto: Fernando Martinez.

Os minutos finais foram dramáticos, com a Chapecoense se segurando como podia na defesa, zonza com a troca de passes do ataque local. Mas aos 43 minutos o Verdão acertou um contra-ataque perfeito pela esquerda. Jean Carlos entrou na área, deu um corte seco no zagueiro e chutou forte no canto esquerdo de André Luís, para completo delírio da torcida do campeão catarinense de 2011.


Chute de longe e boa presença do goleiro catarinense Rodolpho. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Santo André 0-2 Chapecoense. A vitória classificou a equipe de Chapecó para a segunda fase da Série C 2011. A chave já está definida, e conta também com Joinville, Ipatinga e Brasiliense. Já estou na torcida para que o time alvi-verde possa fazer parte da Série B em 2012.

Falando do Ramalhão, a derrota fez com que a equipe permanecesse na lanterna do Grupo D da competição. No próximo domingo a equipe pega o Brasil de Pelotas fora de casa, e precisa vencer, caso contrário a equipe vai parar na quarta divisão do nacional no ano que vem. Se o jogo terminar empatado, o time ainda pode se salvar caso o Caxias perca por quatro gols jogando fora de casa contra a Chapecoense.

Mas independente da salvação ou da condenação ao limbo da quarta divisão, é evidente que o trabalho ali deixou muito a desejar. Dois anos atrás, a equipe fazia parte da elite do país, e agora pode amargar o terceiro rebaixamento em três anos (isso sem contar o rebaixamento no paulista nesse ano). Lamentável acompanhar esse declínio, e torcemos muito para que o time do ABC paulista possa assustar novamente seus adversários em campeonatos brasileiros.

Diferente do que aconteceu no jogo anterior por ali, dessa vez não aconteceu nenhuma confusão, e junto aos dois amigos já citados, fomos esperar o ônibus que nos levaria à estação de trem. Pegamos o coletivo com direito a uma genial trilha sonora de Elton John, que deixou muitos usuários do transporte coletivo andreense emocionados com músicas como Candle In The Wind e Your Song. Depois, foi só pegar o trem e voltar para a capital paulista, ainda com basquete masculino e a volta do futebol americano na telinha... O dia demorou a terminar.

Até a próxima!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário